Milícia curdo-síria denuncia ataque do EI na fronteira com Turquia

Beirute, 27 fev (EFE).- A principal milícia curdo-síria, Unidades de Proteção do Povo (YPG) denunciaram neste sábado um ataque do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) nas cidades de Suluk e Tel Abiad, na fronteira, lançados desde a Turquia e a cidade síria de Al Raqqa.

Os extremistas iniciaram no começo da manhã uma ofensiva contra Suluk e Tel Abiad, no norte da província nordeste de Al Raqqa, indicou o porta-voz das YPG, Ridor Khalil, em comunicado.

"Um grupo armado (do EI) entrou pelo lado turco (da fronteira) e outro se infiltrou desde a cidade Al Raqqa com o objetivo de tomar o controle das duas cidades", indicou Khalil.

Os radicais tinham como alvo 25 "pontos de segurança" dentro e nos arredores de Suluk e Tel Abiad, mas as forças curdo-sírias conseguiram repeli-los.

Khalil acusou a Turquia de "não ter sido capaz de digerir a perda de Al Shadadi para o EI e de 2.400 quilômetros quadrados" nessa região.

Há oito dias, as YPG, que lutam integradas nas Forças da Síria Democrática (FSD), uma coalizão armada curdo-síria, tomaram do EI o domínio de Al Shadadi, o principal reduto dos jihadistas na província síria de Al Hasaka, vizinha a Al Raqqa.

As YPG denunciam que a Turquia, que considera esta milícia curdo-síria uma organização terrorista, dá apoio ao EI para efetuar ataques contra os curdos no território sírio.

A ofensiva do EI em Tel Abiad e Suluk aconteceu no primeiro dia do cessar-fogo na Síria, que excluiu esta organização radical e a Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos