Oposição síria voltará a Genebra em 7 de março se trégua for respeitada

Beirute, 27 fev (EFE).- A Comissão Suprema para as Negociações (CSN), a principal aliança opositora síria, voltará às negociações de paz em Genebra, que está marcada para 7 de março, se o regime e seus aliados respeitarem o cessar-fogo, disse neste sábado à agência Efe seu porta-voz, Riad Agha.

Agha declarou que a delegação opositora está disposta a voltar ao diálogo indireto com representantes governamentais na cidade suíça, apoiado pela ONU, "sempre e quando a trégua for respeitada".

"Nós estamos comprometidos com a cessação das hostilidades e esperamos que isto permita o cumprimento dos pontos do acordo (entre Rússia e EUA para o cessar-fogo) referentes à entrada de ajuda humanitária, a libertação de prisioneiros, e se houver sucesso, que os deslocados possam voltar para suas casas", apontou.

O Conselho de Segurança da ONU exigiu ontem à noite o respeito à cessação da violência na Síria, pouco antes da entrada em vigor, às 0h (19h de sexta-feira em Brasília), e anunciou uma nova rodada de negociações de paz entre o governo e a oposição para 7 de março.

Por outro lado, Agha revelou que os dois principais grupos islâmicos da oposição armada, o Exército do Islã e o Movimento Islâmico dos Livres de Sham, aceitaram a trégua.

"Tanto o Exército do Islã como o Movimento Islâmico dos Livres de Sham aceitaram cumpriro cessar-fogo, da mesma forma que as brigadas do Exército Livre Sírio (ELS) que fazem parte da CSN", ressaltou.

A CSN emitiu ontem um comunicado que afirmava que 97 grupos armados tinham aprovado a cessação das hostilidades, mas não dava seus nomes, e existiam dúvidas sobre a aceitação dessas duas organizações.

Agha lembrou que só estão fora do cessar-fogo a Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda, e o Estado Islâmico, por isso que nas zonas onde eles estão presentes segue a haver combates.

O porta-voz garantiu que a única área onde a trégua não está sendo aplicada e não há nenhuma presença dessas duas organizações jihadistas é a cidade de Daraya, ao sudoeste de Damasco, onde as autoridades acreditam que há combatentes da Frente al Nusra.

Agha acrescentou que a CSN está coordenando com a ONU, "já que é necessário que haja uma parte mediadora", para a implementação da cessação das hostilidades, e não diretamente com EUA e Rússia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos