Obama diz que Elie Wiesel era "a consciência do mundo"

Em Nova York

  • Jason Reed/Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou neste sábado (2) o sobrevivente de Auschwitz e vencedor do Nobel da Paz em 1986, Elie Wiesel, que morreu hoje em Nova York, como "a consciência do mundo".

"Wiesel foi uma das pessoas que mudaram o mundo como cidadão mais do que ocupando cargos ou tradicionais posições de poder", afirmou o presidente americano, em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Obama, que o acompanhou em uma viagem ao campo de concentração nazista de Buchenwald em 2009, ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, disse que o ativista judeu "fez mais do que dar testemunho: atuou".

Elie Wiesel recebeu o Nobel da Paz em 1986 por alçar sua voz em lembrança do Holocausto judeu, e também se destacou por suas críticas a outras atrocidades, como o genocídio de Ruanda e os massacres na antiga Iugoslávia.

"Elie não era só o sobrevivente mais proeminente do Holocausto: era a memória viva", afirmou Obama. "Elie Wiesel - acrescentou - era uma das maiores vozes morais de nosso tempo, e em muitos sentidos, a consciência do mundo".

Há poucos dias, Obama anunciou a intenção de nomeá-lo como um dos integrantes de um conselho de várias personalidades para lembrar o Holocausto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos