Disparos de foguetes e bombardeios na Síria deixam 25 mortos

Beirute, 11 jul (EFE).- Pelo menos 25 pessoas morreram nesta segunda-feira atingidas por disparos de foguetes de grupos de radicais islâmicos e bombardeios de aviões de guerra nas províncias Aleppo e Idlib, no norte da Síria, informaram meios oficiais e ativistas.

A agência de notícias estatal síria, "Sana", apontou que pelo menos oito pessoas faleceram e mais de 80 ficaram feridas em ataques de "organizações terroristas" em bairros residenciais de Aleppo. O Observatório Sírio de Direitos Humanos elevou o número de vítimas a nove e acrescentou que há dezenas de feridos.

Os projéteis caíram em pelo menos nove distritos e na Praça Saadallah Al-Jabiri, no coração de Aleppo, segundo o Observatório. Conforme o organismo, desde o início do dia, 300 projéteis foram lançados por facções armadas contra áreas em poder das forças governamentais na cidade.

Por outro lado, pelo menos 14 pessoas morreram, entre elas uma criança, um membro da Defesa Civil e um jornalista, em bombardeios na cidade de Tarmanin, no norte de Idlib. O ataque aéreo aconteceu em um mercado, localizado perto da estrada que liga Tarmanin à cidade de Dara Aza.

Por telefone, o diretor do Observatório, Rami Abdul Rahman, disse à Agência Efe que o jornalista morto é Ibrahim al-Omar, da rede de TV "Al Jazeera" e atingido em um bombardeio de aviões russos em Idlib.

O Observatório acrescentou que outras três pessoas morreram em um ataque similar em Ahsam, na região de Jabal Zawiya, também em Idlib.

Estes ataques coincidem com a prorrogação de 72 horas da trégua iniciada na quarta-feira no país, que em vez de reduzir as hostilidades trouxe um aumento dos ataques.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos