Governo boliviano mantém silêncio após notícia de morte de vice-ministro

La Paz, 25 ago (EFE).- O governo da Bolívia mantém nesta quinta-feira o silêncio absoluto duas horas depois que um jornalista garantiu ter visto em uma colina do Altiplano o corpo do vice-ministro de Regime Interior, Rodolfo Illanes, que estava sendo mantido sob custódia pelos mineiros que há três dias bloqueiam várias estradas do país.

Fontes governamentais consultadas pela imprensa do país não negaram, nem confirmaram, a notícia da morte do vice-ministro e pediram que os veículos de comunicação aguardassem "informações oficiais".

Illanes se dirigiu esta manhã para a cidade de Panduro, cerca de 180 quilômetros da capital La Paz, para tentar negociar o fim dos protestos dos mineiros, mas acabou sendo retido pelos manifestantes.

O Ministério Público anunciou uma entrevista coletiva do procurador-geral, Ramiro Guerrero, para os próximos minutos na cidade de Sucre, capital constitucional da Bolívia e sede do Poder Judiciário, no sudeste do país.

Já presidente Evo Morales se encontra na cidade de Cochabamba, no centro da Bolívia, indicou à Agência Efe uma fonte do governo.

O diretor da rádio "Fedecomin", Moisés Flores, foi quem disse por telefone à emissora "Erbol" que havia visto pessoalmente o corpo do vice-ministro Illanes em um monte próximo a Pandur.

"Fomos até o local onde estava o vice-ministro Illanes e o encontramos sem vida. Estamos muito assustados, nós estamos correndo riscos porque os mineiros estão furiosos no ponto de bloqueio, velando o corpo de um dos seus", disse Flores.

O comunicador dirige a rádio da Federação Departamental de Cooperativas Mineiras de La Paz (Fedecomin), a organização que participa dos protestos e dos bloqueios contra uma lei sobre sindicatos aprovada pelo governo de Evo Morales.

Flores disse que encontrou o corpo de Illanes em uma colina, cerca de 50 metros de uma torre de energia elétrica onde horas antes o vice-ministro foi retido pelos mineiros.

O comunicador também acrescentou que ouviu versões dos cooperativistas mineiros de que Illanes teria morrido após ser espancado.

Segundo Flores, a morte de outro mineiro também foi confirmada, que seria a terceira desde a quarta-feira, e cujo corpo estava sendo velado na rota do Altiplano após os enfrentamentos ocorridos esta tarde entre manifestantes e policiais.

Os mineiros estão realizando bloqueios nas estradas do centro e do oeste da Bolívia há três dias em protesto contra uma lei promulgada pelo presidente Evo Morales que permite a criação de sindicatos nas cooperativas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos