Combates na província central afegã forçam deslocamento de 35 mil pessoas

Cabul, 21 set (EFE).- Os combates entre as forças afegãs e os talibãs na província central de Uruzgan levaram cerca de 35 mil pessoas a deixar seus lares, conviver com escassez de comida e recursos e ficar sem acesso a serviços pela impossibilidade do governo de ajudá-las, indicou nesta quarta-feira à Agência Efe uma fonte oficial.

Moradores dos povoados situados ao redor de Trinkot, capital de Uruzgan, e dos distritos limites foram obrigados a ir embora durante as últimas duas semanas, e a maior parte se refugiou em zonas da parte norte da cidade, indicou o porta-voz do governador provincial, Dost Muhammad Nayab.

O porta-voz explicou que o cálculo de 35 mil corresponde unicamente aos deslocados de lugares sob controle governamental e não descartou que o problema humanitário afete pessoas além das que se encontram em zonas controladas pelos talibãs.

"Estas pessoas deixaram todas suas posses em suas casas e agora têm pouco ou nada para comprar comida e bens", indicou Nayab, ao agregar que o governo local "não tem nada à mão" para ajudar em suas necessidades.

O governo local pediu à administração central e às ONGs internacionais que levem ajuda, mas a interrupção da principal rota de fornecimento desde Kandahar (sul) impediu a chegada da assistência.

A estrada está há dias bloqueada depois que os talibãs tomaram 36 postos de segurança e encheram a via de minas, o que além disso fez com que os preços dos bens em Trinkot tenham disparado.

"Pedimos às tropas internacionais que nos tragam provisões em helicóptero", indicou, ao acrescentar que ainda não receberam apoio.

Trinkot sofre há semanas o assédio dos talibãs, que estiveram a ponto de tomar a cidade no último dia 8, algo que o governo evitou na última hora graças à chegada de reforços desde o sul e o apoio aéreo dos Estados Unidos.

"Os talibãs seguem nas proximidades da cidade pelo norte, pelo leste e oeste, e em algumas zonas estão a apenas 500 metros do cordão de segurança da cidade", indicou.

Trinkot é a terceira cidade à qual os talibãs põem cerco e na qual entram nos últimos 12 meses, depois que fizesem o mesmo em Lashkargah -na sulina província de Helmand, onde seguem controlando uma parte e continuam os combates- e em Kunduz, cidade que chegaram a tomar durante vários dias no ano passado.

De acordo com fontes americanas, os insurgentes controlam atualmente cerca de um terço do Afeganistão, em meio à crescente violência desde o final da missão militar da Otan, em 1º de janeiro de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos