Gorbachev elogia Fidel por combater colonialismo e as pressões dos EUA

Moscou, 26 nov (EFE).- O último líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev, elogiou neste sábado a figura do ex-presidente de Cuba, Fidel Castro - que morreu na noite de sexta-feira -, pela sua luta contra o colonialismo e o bloqueio americano.

"Fidel Castro fez tudo que estava em seu poder para destruir o sistema colonial. Fidel resistiu e fortaleceu seu país durante o rígido bloqueio americano", disse Gorbachev à agência "Interfax".

Gorbachev, de 85 anos, acredita que Fidel deixa "uma profunda marca na história de toda a humanidade", entre outras coisas, por conseguir que Cuba se desenvolvesse de maneira independente, apesar das "enormes pressões" externas.

"Ele permanecerá em nossa memória como um político e um homem extraordinários, e como nosso amigo", disse.

O antigo líder soviético não quis falar "em um dia de luto" sobre piora nas relações entre o Kremlin e Cuba durante a Perestroika, mas admitiu que, "infelizmente, nas relações bilaterais, às vezes existem períodos de esfriamento".

Fidel Castro mostrou-se muito crítico com o processo de abertura e transparência impulsionado por Gorbachev e viajou pela última vez a este país em 1987, visita que o último líder soviético lhe devolveu em 1989, pouco antes da queda do Muro de Berlim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos