Rússia critica charge de "Charlie Hebdo" sobre acidente de avião no Mar Negro

Moscou, 29 dez (EFE).- Várias autoridades da Rússia fizeram fortes críticas nesta quinta-feira à caricatura publicada pela revista satírica francesa "Charlie Hebdo" por causa do acidente do avião militar russo que caiu no domingo no Mar Negro com 92 pessoas a bordo, sem que houvesse sobreviventes.

"A caricatura da 'Charlie Hebdo' está fora da lei e da moral humana. É extremismo que nada tem a ver com o jornalismo e a arte", disse a vice-presidente da Duma de Estado, a Câmara dos Deputados da Rússia, Irina Yarovaya.

A caricatura da polêmica publicação francesa apresenta o avião em plena queda e um cantor do grupo de música e dança Alexandrov do exército russo - que perdeu 64 de seus integrantes no acidente - entoando um grito "a-a-a-a-a", e com uma inscrição que diz: "o repertório do coral do Exército Vermelho se amplia".

"Se esta criação é uma expressão dos autênticos valores ocidentais, seus portadores e defensores estão condenados, pelo menos, a ficarem sozinhos no futuro", reagiu à caricatura o porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov.

O Tu-154 militar russo caiu nas águas do Mar Negro instantes após decolar do aeroporto da cidade de Sochi, onde fez uma breve escala para reabastecer combustível.

A bordo da aeronave estavam 64 integrantes do grupo Alexandrov, nove jornalistas, oito militares, oito tripulantes, dois funcionários e a renomada médica Elizaveta Glinka, que presidia uma fundação humanitária.

Os artistas militares viajavam à Síria para participarem de uma apresentação de Ano Novo na base área de Khemeimim, em Latakia, no litoral do país árabe, onde a Rússia mantém um grupo de aviões de guerra.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos