Papa critica capitalismo e pede mudanças no sistema socioeconômico

Cidade do Vaticano, 4 fev (EFE).- O papa Francisco pediu neste sábado "mudanças nas regras de jogo do sistema socioeconômico" e criticou o capitalismo por continuar "produzindo gente descartável", à qual depois esconde ou tenta tornar invisível para a sociedade.

O pontífice criticou também a hipocrisia do sistema econômico vigente quando, por exemplo, destina uma pequena parte do custo de uma passagem aérea à plantação de árvores e tenta compensar assim a poluição dos aviões.

"As empresas do jogo financiam campanhas para cuidar dos jogadores patológicos que criam. E, quando a indústria do armamento pagar hospitais para cuidar crianças mutiladas por suas bombas, o sistema terá alcançado o cume", lamentou o papa.

O pontífice falou assim perante um grupo de empresários no Vaticano que representa uma iniciativa denominada "economia da comunhão", lançada há 25 anos pela fundadora do movimento católico dos Focolares, a italiana Chiara Lubich.

Os empresários que fazem parte desta iniciativa surgida no Brasil em 1991 se comprometem a dedicar os lucros obtidos em sua atividade a ajudar a pessoas com problemas.

Hoje o papa recebeu na Sala Paulo XVI do Vaticano mil representantes desta iniciativa e perante eles reconheceu que atualmente há esforços, tanto públicos como privados, no mundo todo destinados a combater a pobreza.

"Hoje inventamos outras formas de atender, de alimentar, de ensinar aos pobres e algumas das sementes da Bíblia floresceram em instituições mais eficazes que as do passado", destacou o papa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos