Bombardeios da coalizão mataram 162 civis na Síria no último mês, segundo ONG

Cairo, 23 jul (EFE).- Os bombardeios da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, causaram no último mês a morte de pelo menos 162 civis, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG indicou que entre os mortos há 53 crianças e 60 mulheres, que perderam a vida entre 23 de junho e 23 julho.

Nestes ataques, que se concentram na província síria de Raqqa, morreram outras 314 pessoas, das quais pelo menos 272 eram membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), acossado em Raqqa pelas Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança encabeçada por milícias curdas, às quais a coalizão oferece cobertura aérea.

Com essas vítimas mortais (476 no total) sobe para 9.274 o número de mortos na Síria em decorrência dos bombardeios da coalizão, que começaram em 23 de setembro de 2014, quase três meses após a proclamação de um califado por parte do EI neste país e no Iraque.

Nos 30 dias anteriores (de 23 de maio a 23 de junho), o Observatório registrou a morte de 250 civis apenas na província de Raqqa, feudo do EI, de um total de 472 civis em todo o território sírio.

Nesse período perderam a vida 812 pessoas, frente às 476 que morreram entre 23 de junho e 23 de julho.

Desde o último dia 6 de junho, a coalizão desenvolve junto às FSD uma ofensiva na cidade de Raqqa, considerada a "capital" do califado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos