Bombardeios russos no norte da Síria matam 45 membros da oposição de Al Assad

Cairo, 24 set (EFE).- Um total de 45 combatentes da facção opositora síria Legião do Levante morreram ontem um bombardeio de aviões russos na província de Idleb, no norte do país.

As informações foram divulgadas neste domingo pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos, que classificou o ocorrido como o "maior massacre" de combatentes em Idleb. De acordo com a organização, um dos ataques ocorreu em uma sede desse grupo de oposição ao regime do presidente do país, Bashar al Assad, na região de Tel Mardij, no leste da província.

O Observatório alertou que o número de vítimas deve subir porque há feridos em estado grave. Segundo fontes citadas pela organização, dezenas de membros da Legião do Levante estão debaixo dos escombros da sede bombardeada pelos aviões russos.

Anteontem, o submarino russo Veliki Novgorod lançou do Mar Mediterrâneo vários mísseis de cruzeiro contra alvos dos jihadistas na província de Idleb, informou o Ministério de Defesa da Rússia.

Os Estados Unidos expressaram "preocupação" pelos bombardeios de aviões russos e sírios em Idleb e Hama. Segundo a Casa Branca, os ataques mataram três médicos.

Quase toda a área de Idleb está sob controle de facções islâmicas, entre elas a Organização para a Liberdade do Levante, aliança liderada pela antiga Frente al Nusra, ex-filial da Al Qaeda na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos