Sobe para 16 o número de mortes causadas pela tempestade Nate na Nicarágua

  • AFP

    A tempestade Nate deixou 16 mortos na Nicarágua e 11 na Costa Rica

    A tempestade Nate deixou 16 mortos na Nicarágua e 11 na Costa Rica

Pelo menos 16 pessoas morreram, uma está desaparecida e 29.110 foram atingidas pela passagem da tempestade tropical Nate na Nicarágua, que agora se transformou em furacão e também causou danos em 5.953 moradias, informou neste sábado (7) o governo do país da América Central.

A vice-presidente e primeira-dama nicaraguense, Rosario Murillo, detalhou que duas pessoas morreram afogadas em um córrego no município de Diriamba, no sudoeste do país.

Outro homem de identidade desconhecida, de aproximadamente 40 anos, também foi encontrado sem vida no município de Sébaco, no norte, após ser arrastado por uma corrente. Além disso, as autoridades contabilizam 6.848 famílias atingidas, com 29.110 pessoas em 73 dos 153 municípios da Nicarágua.

Entre as 5.953 casas atingidas pela tempestade, 5.684 foram inundadas e as outras ficaram semidestruídas, desmoronadas ou em risco de cair, segundo o boletim do Sinapred (Sistema Nacional de Prevenção e Atenção a Desastres), lido pela vice-presidente.

Além disso, o Nate provocou muitos danos nas infraestruturas, no fornecimento de energia elétrica e no serviço de distribuição de água potável.

A tempestade chegou à costa leste da Nicarágua na quinta-feira (5) com ventos máximos constantes de 65 km/h, segundo o Ineter (Instituto Nicaraguense de Estudos).

Por enquanto, as autoridades da Nicarágua mantêm o país em alerta amarelo de prevenção e as aulas estão suspensas nas escolas do país.

Já na Costa Rica, o Órgão de Investigação Judicial do país confirmou que o número de mortes causadas pelas chuvas provocadas por Nate chegou hoje a 11, enquanto duas pessoas permanecem desaparecidas.

As autoridades costarriquenhas informaram que 170 abrigos foram habilitados para as mais de 11.300 pessoas que tiveram que deixar suas casas, e que estas necessitam de alimentos, medicamentos, cobertores, e outros artigos essenciais.

O presidente Luis Guillermo Solís disse hoje que houve uma mudança nas áreas em que foram decretadas situação de emergência. A região do Caribe e o norte estão fora de alerta, enquanto o litoral do Pacífico e o Vale Central se mantêm em alerta vermelho devido à saturação dos solos e porque existem condições de risco, pois ainda há previsão de chuva para hoje e amanhã.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos