Manifestações contra política econômica deixam 2 mortos no Irã

Teerã, 31 dez (EFE).- Pelo menos duas pessoas morreram na província de Lorestão, no sudoeste do Irã, durante as manifestações contra as políticas econômicas do governo, segundo informou o vice-governador da província, Habibolah Joyastepur.

Citado pela agência de notícias iraniana "ISNA", o vice-governador lamentou a morte de duas pessoas ontem à noite, na cidade de Doroud, na província de Lorestão, e afirmou que o desejo das autoridades era que as manifestações acabassem de forma pacifica.

Joyastepur disse que em Doroud os "takfiries (sunitas extremistas) inimigos e a inteligência estrangeira" estiveram envolvidos e presentes "nos distúrbios", em referência aos protestos.

"Neste conflito, o objetivo de todos nós era que a concentração acabasse de forma pacifica, mas, considerando a presença de grupos takfiries inimigos e a orientação que estavam fazendo os serviços de inteligência estrangeira, lamentavelmente duas pessoas morreram", explicou Joyastepur.

Após a morte destas duas pessoas e a divulgação das imagens em redes sociais, o ministro de Interior iraniano, Abodlreza Rahmani Fazli, pediu hoje respeito à ordem pública e elogiou a tolerância e contenção da polícia.

"O ambiente criado não beneficia à segurança ou ao emprego no país, mas os prejudica", disse Rahmani Fazli.

O ministro assegurou ainda que o "parlamento, o governo e o Poder Judiciário do Irã estão determinados a aceitar as reivindicações do povo para resolver seus problemas".

O governo do Irã pediu ontem a seus cidadãos que evitem participar de manifestações não autorizadas, depois de três dias de protestos contra o aumento dos preços e a corrupção.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos