Rússia acusa EUA de promover separatismo dos curdos da Síria

Moscou, 22 jan (EFE).- O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou nesta segunda-feira os Estados Unidos de encorajarem o separatismo dos curdos da Síria e de tentar criar nesse país "órgãos de poder alternativos".

"Há muito tempo os Estados Unidos tentam dissuadir os curdos com os quais colaboram de dialogar com Damasco. Washington encorajou ativamente e continua encorajando os ânimos separatistas entre os curdos", disse Lavrov em entrevista coletiva.

O chefe da diplomacia russa indicou que essa política dos EUA pode obedecer a duas razões: "ou não entendem a situação ou é uma provocação consciente".

Lavrov ressaltou que os curdos têm um papel no processo político na Síria e este deve ser garantido sobre a base da plataforma comum de todas as forças sírias que "devem respeitar a soberania e a integridade territorial da Síria".

O ministro russo lembrou que os curdos foram incluídos na lista de sírios convidados ao Congresso do Diálogo Nacional Sírio, que será realizado na próxima semana em Sochi, balneário russo a margens do mar Negro.

"Há muito tempo observamos que os EUA pretendem criar órgãos de poder alternativos em uma parte significativa do território sírio", disse.

O titular de Exteriores russo denunciou também que de maneira aberta e encoberta Washington fornece armamento moderno, em primeiro lugar às Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança militar liderada pelas milícias curdas.

Além disso, criticou os planos dos EUA de criar forças de segurança ao longo de todas as fronteiras da Síria com o Iraque e a Turquia, que - segundo disse - constituem uma "grosseira ingerência" nos assuntos internos sírios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos