Bolívia se mobiliza para extraditar acusado de crime brutal preso no Brasil

La Paz, 26 jan (EFE).- A polícia, o Ministério Público e o Ministério das Relações Exteriores da Bolívia se mobilizaram para extraditar do Brasil o homem considerado o principal autor de um crime brutal contra um casal que causou comoção em La Paz, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais.

O boliviano Eliot L.F., identificado pelas autoridades do país andino como o principal suspeito do crime, foi detido na quinta-feira em São Paulo pela Polícia Federal do Brasil, que foi alertada sobre o caso pela Bolívia, disse à imprensa o vice-ministro de Regime Interior boliviano, José Luis Quiroga.

O Ministério de Governo (Interior) da Bolívia coordenou com a Chancelaria do país e com o embaixador boliviano no Brasil, José Kinn, e o cônsul em São Paulo, Jorge Ledezma, para conseguir o retorno imediato do procurado, explicou o vice-ministro.

Além disso, a polícia boliviana fez contato com a Polícia Federal do Brasil, que "instruiu, pelo princípio da reciprocidade, entregar" Eliot L. sem a necessidade do procedimento oficial de extradição.

O chefe policial boliviano, Johnny Aguilera, o promotor Marco Vargas e um investigador viajaram ao Brasil para buscar o acusado, que foi levado ao consulado boliviano em São Paulo sob custódia policial.

Está previsto que Eliot L. e a comitiva retornem até o final desta tarde ao aeroporto de El Alto, cidade vizinha a La Paz.

O vice-ministro Quiroga destacou o trabalho realizado pela polícia boliviana, assim como a coordenação entre todas as instituições para encontrar o jovem e conseguir trazê-lo de volta ao país para que responda à Justiça.

O suspeito das mortes do casal de jovens foi localizado pela polícia boliviana quando realizou um telefonema para um familiar usando um telefone público no Brasil.

Eliot L. é o principal suspeito do assassinato de Jesús C. e Carla B., um casal que desapareceu no dia 1º de janeiro após uma festa de Ano Novo em La Paz e cujos corpos foram encontrados há uma semana no leito de um rio na cidade.

Os relatórios policiais preliminares indicam que a jovem foi abusada sexualmente e que os dois morreram de forma violenta.

A Promotoria Geral do Estado indicou em um comunicado que, segundo as investigações, Eliot L. "estuprou Carla antes de matá-la com um objeto perfurante" e depois ele e vários familiares levaram os corpos ao local onde a polícia os encontrou.

Até o momento, foram presas preventivamente oito pessoas, entre eles os irmãos de Eliot L., Israel e Mikaela, todos acusados por crimes de assassinato, feminicídio, latrocínio e estupro.

Outras três pessoas estão sob prisão domiciliar, complementou o promotor do distrito de La Paz, Edwin Blanco.

O caso causou comoção na sociedade boliviana e teve grande destaque nos meios de comunicação locais, especialmente em La Paz. EFE

gb/rpr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos