Rússia qualifica novas sanções dos EUA como "passo destrutivo"

A Rússia qualificou nesta sexta-feira como "passo destrutivo" o novo rodízio de sanções impostas pelos Estados Unidos contra funcionários russos por suas atividades na anexada península da Crimeia.

"As novas sanções contra a Rússia são um novo passo destrutivo que piora a situação nas relações russo-americanas", disse o chefe do Comitê de Assuntos Internacionais da Duma (Câmara de Deputados), Leonid  Slutski.

O deputado acrescentou que Washington adotou as medidas "com o fim de garantir seus interesses geopolíticos, a concorrência ilegal e sua hegemonia nos mercados internacionais".

"Tenho certeza que a nova rodada de sanções não ficará sem resposta pela nossa parte", comentou.

Slutski também lembrou que a Rússia não é parte do conflito ucraniano e lamentou a ausência de reação perante a aprovação pelo parlamento ucraniano de uma lei para recuperar o controle sobre as regiões pró-Rússia que representa uma violação dos Acordos de Paz de Minsk.

Ao contrário, segundo acrescentou, os EUA aprovam uma assistência militar avaliada em milhões de dólares para o fornecimento a Kiev de armamento letal.

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou hoje uma nova rodada de sanções contra 21 indivíduos e nove entidades da Rússia e da Ucrânia por suas atividades na Crimeia, entre os quais aparece o ministro de Energia russo, Andrey Cherezov.

"O governo dos EUA está comprometido a manter a soberania e integridade territorial da Ucrânia e assinalar àqueles que querem destruir os acordos de paz de Minsk", disse Steven Mnuchin, secretário do Tesouro, em um comunicado.

Além de Cherezov, também são alvos das sanções americanas 11 representantes do governo separatista do leste da Ucrânia, incluindo os autodenominados ministros de Comércio, Finanças e Justiça.

De acordo com a nota do Tesouro, estes indivíduos participaram do fornecimento de quatro turbinas para o estabelecimento de uma central elétrica na Crimeia.

Como consequência, ficam congelados todos os ativos que estas pessoas possam ter sob jurisdição dos Estados Unidos e também estão proibidas as transações financeiras com americanos.

A Rússia foi alvo de várias rodadas de sanções por sua anexação da Crimeia e pelas atividades no leste da Ucrânia desde 2014, tanto por parte dos EUA como da União Europeia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos