Mulher sul-coreana confessa ter estrangulado a filha em ritual exorcista

Seul, 27 fev (EFE).- Uma mulher sul-coreana que foi detida como suspeita da morte de sua filha confessou que a estrangulou com o objetivo de praticar exorcismo, segundo informou nesta terça-feira a polícia de Seul.

A mulher, de 37 anos e residente na capital sul-coreana, foi detida depois que seu marido alertou os serviços de emergência ao encontrar a filha de ambos inconsciente na casa onde viviam no último dia 19.

A polícia deteve a mulher após encontrar sinais de estrangulamento no pescoço da menina, de cinco anos de idade e que já tinha morrido quando foi atendida pelos serviços médicos, apontaram fontes da investigação à agência local "Yonhap".

Durante o interrogatório, a mãe afirmou que praticou com a filha um ritual exorcista que tinha visto em um filme na televisão, e afirmou que seu objetivo era " exorcizar os espíritos maus de seu corpo" e corrigir assim as dificuldades da menina para se expressar, segundo as mesmas fontes.

A mulher já tinha antecedentes de transtornos mentais, afirmou a polícia local, que considera que o marido não está envolvido no assassinato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos