PUBLICIDADE
Topo

Líder islamita mais excêntrico da Turquia é detido por abuso e chantagem

11/07/2018 09h11

Ancara, 11 jul (EFE).- A polícia da Turquia deteve nesta quarta-feira Adnan Oktar, um excêntrico televangelista islamita de 62 anos, acusado de abusos sexuais de menores, abdução, chantagem e espionagem, informa o site do jornal "Hürriyet".

Os agentes o detiveram em seu palácio, local onde tambem foram confiscadas diversas armas e veículos blindados.

Além disso, foram detidos 234 colaboradores de Oktar, todos eles suspeitos de ter vínculos com o culto do polêmico religioso.

A intervenção policial aconteceu após várias denúncias de pessoas que afirmaram ter sido chantageadas e ameaçadas após deixar o culto de Oktar, afirma o jornal.

É o caso de um homem turco residente na Áustria, que afirmou que o líder "fez uma lavagem cerebral" em suas duas filhas adolescentes.

Oktar é conhecido em toda Turquia por apresentar um programa de televisão na emissora religiosa turca "A9 TV".

Em seu show, Oktar aparece sempre acompanhado de jovens bem vestidos e meninas jovens, que realizam danças provocativas.

Durante o programa, o predicador realiza discursos que abordam temas variados, não só religiosos, desde teorias científicas até teorias da conspiração.

O seu opulento estilo de vida e o modo no qual conduz o show transmitido pela televisão, custou a Oktar várias sanções do Conselho Superior de Televisão por Rádio do país (RTUK), além de críticas de círculos conservadores islamitas.

Oktar, que ficou conhecido primeiro após publicar uma série de livros sob o pseudônimo "Harun Yhya", nos quais fala sobre a criação e critica a teoria da evolução, foi detido já na década de 80 e internado em um hospício.

Em 1999 foi detido novamente mas, após dois anos de julgamento, as acusações contra si foram retiradas e ele foi posto em liberdade.