PUBLICIDADE
Topo

Abbas recebe adolescente palestina libertada como "modelo de luta"

Mahmoud Abbas recebeu a adolescente palestina Ahed Tamimi - PPO/Reuters
Mahmoud Abbas recebeu a adolescente palestina Ahed Tamimi Imagem: PPO/Reuters

Ramala (Cisjordânia)

29/07/2018 08h49

O presidente da Autoridade Nacional da Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, recebeu no palácio presidencial e como "modelo de luta" a adolescente palestina Ahed Tamimi, que foi libertada neste domingo, após ser sentenciada a oito meses de prisão, depois que apareceu em um vídeo enfrentando soldados israelenses.

"A revolução popular é o caminho correto para resistir à ocupação israelense", declarou Abbas, que citou Ahed como "um modelo da luta palestina pela liberdade e a independência", segundo a agência oficial de notícias "Wafa".

Após passar por sua vila natal, na cidade cisjordaniana de Nabi Saleh, em território palestino ocupado por Israel, Ahed e sua mãe Nariman, que também foi libertada hoje, visitaram o túmulo do líder Yasser Arafat no palácio presidencial da Muqata, onde depositaram flores.

Depois, Abbas recebeu a jovem de 17 anos e Nariman em seu escritório, em uma reunião a portas fechadas, uma amostra de como seu caso repercutiu na esfera internacional e de que ela passou a ser considerada um símbolo da resistência palestina contra a ocupação israelense na Cisjordânia.

Adolescente palestina - Ahmad Gharabli/AFP - Ahmad Gharabli/AFP
Muro é pintado com o rosto de adolescente que foi sentenciada a oito meses de prisão após enfrentar soldados israelenses
Imagem: Ahmad Gharabli/AFP

Os Tamimi são uma conhecida família de ativistas que lideraram os protestos na vila e, por isso, vários dos seus integrantes foram detidos em distúrbios com as forças de segurança israelenses.

O Serviço de Prisões de Israel transferiu a adolescente e sua mãe por volta das 6h (em Brasília) da prisão de Ha Sharon, em Israel, para um posto de controle da Cisjordânia, cuja localização mudou em até três ocasiões desde que a libertação foi informada a familiares e amigos por volta da meia-noite de sábado (em Brasília).

A adolescente agradeceu diante dos jornalistas o acolhimento que recebeu e anunciou que daria mais detalhes e "transmitiria uma mensagem ao mundo das mulheres prisioneiras" em uma entrevista coletiva na cidade de Nabi Saleh, prevista para as 10h (em Brasília) deste domingo, segundo as declarações veiculadas pelas emissoras de televisão locais.

Ahed foi detida em 19 de dezembro do ano passado quando tinha 16 anos ao aparecer em um vídeo com sua mãe e sua prima, que também foram detidas, no qual elas repreendiam e agrediam soldados israelenses em sua residência em Nabi Saleh.

Sua prima Nour foi posteriormente liberada, mas Ahed e sua mãe tiveram um julgamento militar, no qual aceitaram algumas das acusações após um acordo com a promotoria em março.

Ahed foi condenada por incitação e agressão com agravante, entre outras acusações, e sua mãe por incitação.

Ahed Tamimi  - Nasser Shiyoukhi/AP - Nasser Shiyoukhi/AP
Ahed Tamimi é abraçada após ser liberada pelo Exército israelense, na Cisjordânia
Imagem: Nasser Shiyoukhi/AP