PUBLICIDADE
Topo

Polícia realiza buscas na casa de Cristina onde morreu Néstor Kirchner

24/08/2018 16h56

Buenos Aires, 24 ago (EFE).- A polícia da Argentina iniciou nesta sexta-feira em El Calafate, na sulina província de Santa Cruz, as buscas no terceiro e último dos domicílios da ex-presidente Cristina Kirchner que um juiz ordenou para encontrar provas relacionadas com a causa na qual é acusada de ter recebido subornos milionários.

Às 15h30 (mesmo horário de Brasília) um grupo liderado por agentes da Polícia Federal - auxiliado por cães - e membros da Receita ingressou na casa onde no dia 27 de outubro de 2010 uma parada cardíaca matou o marido da atual senadora, o também ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007).

Este procedimento é realizado após os dois de ontem - dos quais não foram informados detalhes - no apartamento no qual Cristina vive em Buenos Aires - que durou 12 horas e gerou uma forte expectativa - e na sua casa de Río Gallegos, cidade da qual Néstor foi prefeito de 1987 a 1991, quando foi eleito governador de Santa Cruz, cargo que ocupou até que chegou à presidência, em 2003.

Às portas do sítio onde está o imóvel de El Calafate - um amplo chalé de dois andares e vários quartos - se aglomeraram vários apoiadores da ex-chefe de Estado, que receberam a comitiva com gritos de "Circo, circo!".

A ex-presidente (2007-2015), que não está na casa, passou as últimas duas noites com a sua filha Florencia no seu apartamento de Buenos Aires.

O juiz Claudio Bonadio busca provas na investigação na qual Cristina é suspeita de ter recebido milionários subornos durante o kirchnerismo (2003-2015) e havia ordenado essas buscas há várias semanas.

No entanto, as operações não tinham sido realizadas até ontem e hoje por requerer a autorização do Senado, uma vez que Cristina tem privilégios como legisladora, um sinal verde que aconteceu na quarta-feira após um intenso debate parlamentar.