PUBLICIDADE
Topo

Nigéria julgará 57 homens acusados de homossexualidade

 Em Lagos, maior cidade da Nigéria, 57 homens foram presos acusados de realizar "cerimônia homossexual" - Getty Images
Em Lagos, maior cidade da Nigéria, 57 homens foram presos acusados de realizar "cerimônia homossexual" Imagem: Getty Images

Abuja, Nigéria

28/08/2018 15h16

A polícia da Nigéria levará para julgamento 57 homens detidos no último fim de semana acusados de homossexualidade. No país esta relação é considerada crime, sendo passível a penas de 14 anos de prisão.

De acordo com a imprensa local, as pessoas foram detidas na noite de sábado em um hotel de Lagos, a capital comercial da Nigéria e a cidade mais superpovoada da África, depois que a polícia recebeu "relatórios da inteligência" sobre uma "cerimônia homossexual".

A polícia investiga o caso, e os acusados irão se apresentar ainda hoje, conforme informações da "Agência Nigeriana de Notícias" (NAN).

"Ao chegarmos, homens jovens, totalizando cerca de 80 pessoas, foram vistos em um salão tomando diferentes tipos de bebidas, incluindo substâncias proibidas", disse o delegado Edgal Imohimi em uma entrevista coletiva.

Os suspeitos negaram a acusação e afirmaram que estavam em duas festas, com a presença de mulheres. O jornalista Wealth Olasunkanmi, de 25 anos, um dos suspeitos, disse que estava participando de uma festa de aniversário.

"Foi uma festa de aniversário e a maioria de nós não se conhece. Eu fui convidado por uma amiga. Algumas mulheres estavam no evento e outras estavam se arrumando nos quartos do hotel. Como era uma festa, uma reunião social, havia mais homens do que mulheres.

A relação homossexual é crime na Nigéria. O casamento gay é explicitamente proibido desde 2014.