PUBLICIDADE
Topo

Shopping da Flórida onde aconteceu tiroteio que deixou 3 mortos é reaberto

28/08/2018 12h32

Miami, 28 ago (EFE).- O shopping de Jacksonville (Flórida) onde um jovem matou a tiros no domingo dois participantes de um campeonato de videogames antes de se suicidar foi reaberto nesta terça-feira, informaram veículos de imprensa locais.

As autoridades indicaram que os participantes e presentes no torneio que tiveram que sair às pressas do recinto, localizado no exterior do shopping Jacksonville Landing, já podem retornar para recolher os pertences que deixaram para trás na fuga.

Milhares de pessoas visitam a cada ano este popular shopping de 11.700 metros quadrados e situado à beira do rio St. Johns, que conta com cerca de 70 lojas e 20 restaurantes.

Seis dos feridos no tiroteio, no qual David Katz, de 24 anos, matou dois dos participantes do torneio, permanecem hospitalizados, um deles em estado grave, enquanto são investigadas as motivações do agressor.

As autoridades e os médicos do UFA Health Jacksonville confirmaram ontem que seis pessoas atingidas por disparos foram tratadas neste hospital, enquanto outros foram atendidos em outros centros médicos.

Outras pessoas também ficaram feridas por conta da correria no local após serem ouvidos os tiros, o que levou dezenas de pessoas a fugir e procurar proteção em baixo das mesas.

Os dois mortos no tiroteio foram identificados como Taylor Robertson, de 27 anos, e Eli Clayton, de 22, também participantes do torneio, organizado no GLHF Game Bar pela Electronic Arts, uma popular empresa do setor de videogames, que já anunciou a suspensão dos demais eventos "até a revisão dos protocolos de segurança".

O xerife de Jacksonville, Mike Williams, afirmou que Katz, residente em Baltimore (Maryland), abriu fogo e matou duas pessoas e feriu outras 9, para depois se suicidar com a mesma arma.

O agressor, que se graduou em 2011, teve problemas acadêmicos e emocionais e ficou internado em um psiquiátrico do condado de Baltimore, o Sheppard Pratt Health System, segundo os arquivos do divórcio de seus pais, detalha o jornal local "Sun Sentinel".

Os agentes investigam quais podem ter sido as razões que levaram Katz a abrir fogo durante o torneio, embora algumas testemunhas apontem aos veículos de imprensa que o motivo foi sua eliminação em uma fase da competição.