PUBLICIDADE
Topo

Homem é detido nos EUA por envio de pacotes suspeitos

26/10/2018 13h15

Washington, 26 out (EFE).- A polícia federal investigativa dos Estados Unidos (FBI, na sigla em inglês) deteve nesta sexta-feira um homem relacionado com o envio de pacotes suspeitos no país, que foram dirigidos principalmente a nomes do Partido Democrata e para críticos do presidente Donald Trump, informou o Departamento de Justiça americano.

"Podemos confirmar que temos uma pessoa em custódia", afirmou a porta-voz do Departamento de Justiça Sarah Isgur Flores, que anunciou que os detalhes sobre o tema serão apresentados em uma entrevista coletiva às 14h30 locais (15h30 em Brasília).

A detenção do suposto autor acontece depois que pacotes suspeitos foram enviados para 12 personalidades dos EUA nos últimos dias, entre eles o ex-presidente Barack Obama (2009-2017) e a ex-candidata presidencial Hillary Clinton, entre outros.

Os últimos dois pacotes suspeitos, que foram interceptados hoje na Flórida e em Nova York, tinham como destinatários o senador democrata Cory Booker e ao ex-diretor da Agência Central Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos EUA, James Clapper.

Até agora, nenhum dos pacotes explodiu, mas fez com que as forças de segurança dos EUA aumentassem seu nível de alerta, pois existe o temor de que novos pacotes sejam encontrados nos próximos dias.

O FBI afirmou hoje através de Twitter que um pacote "aparentemente similar aos outros" encontrados esta semana estava endereçado ao senador Booker, um influente político democrata e possível candidato presidencial para as eleições de 2020, e acrescentou que o mesmo foi localizado na Flórida.

Por sua vez, o Departamento de Polícia de Nova York retirou hoje outro pacote potencialmente explosivo em uma agência dos correios de Manhattan, remitido a Clapper e que também é parecido com os outros destinados nos últimos dias a personalidades do Partido Democrata.

Os pacotes-bomba de aspecto caseiro começaram a aparecer na segunda-feira, quando o magnata e filantropo George Soros, um conhecido doador do Partido Democrata, recebeu um deles em sua residência no estado de Nova York.

No entanto, foi na quarta-feira que os alarmes soaram com a detecção de outros dois pacotes suspeitos enviados a Obama e Hillary Clinton.

Outros nomes do Partido Democrata também foram destinatários de encomendas suspeitas como o ex-procurador-geral Eric Holder, a congressista Maxine Waters e o ex-diretor da CIA, John Brenan, cujo pacote foi enviado à sede da "CNN", entre outros.

O fato de todos os destinatários serem vinculados ao Partido Democrata e críticos do presidente Trump indica uma possível motivação política, mas ainda não se sabe quem é o responsável pelos pacotes.

Este episódio acontece quando faltam apenas duas semanas para a realização das eleições legislativas de meio de mandato no país, no dia 6 de novembro.

O próprio Trump afirmou hoje que o envio de pacotes bomba freou o impulso dos candidatos republicanos para as eleições legislativas, que servirão para escolher um terço da Câmara dos Representantes e à totalidade do Senado.