PUBLICIDADE
Topo

Governo sírio acusa rebeldes de atacar Aleppo com gás cloro

25/11/2018 06h32

Cairo, 25 nov (EFE).- O Governo da Síria acusou os rebeldes de ter atacado com gás cloro três bairros residenciais da cidade de Aleppo, no norte do país e perto da zona região desmilitarizada de Idlib.

Pelo menos 107 civis foram hospitalizados na noite do sábado com sintomas de intoxicação, segundo fontes médicas citadas pela televisão pública e pela agência oficial "Sana".

O chefe do Departamento de Saúde de Aleppo, Ziad Hach, afirmou que os pacientes foram expostos a gás cloro, em declarações divulgadas pela televisão pública.

Os morteiros com os gases tóxicos caíram nos bairros Al Jaldiya, Rua do Nilo e Yamaiya al Zahraa de Aleppo, a maior cidade do norte da Síria.

A agência oficial afirmou que o ataque foi realizado por "terroristas", sem identificar a que grupo ou facção pertencem.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que 32 pessoas, na sua maioria crianças e mulheres, precisaram de atendimento médico com sintomas de sufocamento pelo suposto ataque químico, embora não tenha identificado a origem dos morteiros.

A agência "Sana" afirmou que o Exército sírio disparou contra a fonte do ataque químico e causou "grandes perdas" nas fileiras dos "terroristas".