Topo

ONU mantém contatos com Israel e Líbano para evitar escalada de tensão

2018-12-04T12:50:00

04/12/2018 12h50

Beirute, 4 dez (EFE).- A Força da ONU no Líbano (FINUL) afirmou que mantém contatos com Israel e Líbano para evitar uma escalada de tensão, depois que Tel Aviv anunciou nesta terça-feira uma operação militar para acabar com túneis do grupo xiita Hezbollah cavados para supostamente se infiltrar em seu território.

O chefe da FINUL, o general Stefano Del Col, está em "contato próximo" com os Exércitos de ambos os países e está pedindo a todas as partes que usem o canal da FINUL e os mecanismos de coordenação para "diminuir a tensão", segundo um comunicado da missão da ONU.

"As forças de paz da FINUL aumentaram suas patrulhas na Linha Azul, junto com as Forças Armadas Libanesas para manter a estabilidade geral e para evitar mal-entendidos que possam levar a uma escalada", afirmou o comunicado.

Segundo a FINUL, a situação está calma na região que controla em torno da Linha Azul, a fronteira estabelecida pela ONU em 2000 depois da retirada das tropas israelenses, e ressaltou que suas equipes trabalham em ambos os lados da fronteira.

Israel lançou hoje uma operação para destruir túneis além das fronteiras cavados pelo grupo xiita libanês Hezbollah, construídos supostamente para preparar um ataque.

O Hezbollah, grupo considerado terrorista por Israel, ainda não reagiu ao anúncio desta operação.

O Exército israelense também anunciou hoje a detecção de um túnel de aproximadamente 200 metros de extensão desde o sul do Líbano que entra 40 metros em seu território e advertiu que começará a destruí-lo nas próximas horas,

Trata-se do primeiro "túnel detectado na operação 'Escudo do Norte', e o próximo passo será preparar a demolição e continuar para os outros túneis que sabemos que existem", disse à Agência Efe o porta-voz militar tenente-coronel Jonathan Conricus.

Conricus destacou que a detecção dos túneis é resultado de um trabalho de mais de quatro anos, com várias unidades e Inteligência envolvidas para investigar "de onde são cavados os túneis e até onde vão".

Mais Notícias