PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Guatemala se despede de menina que morreu em prisão para imigrantes nos EUA

24/12/2018 19h04

Cidade da Guatemala, 24 dez (EFE).- Familiares, amigos e moradores da cidade de Raxruhá, no norte da Guatemala, se reuniram nesta segunda-feira para se despedir de Jakelin Caal, a menina de 7 anos que morreu dentro de uma prisão para imigrantes montada pelo governo dos Estados Unidos perto da fronteira com o México.

O corpo da menina, que deixou os EUA no domingo, chegou à cidade na manhã de hoje, trazido por um carro do Ministério de Relações Exteriores da Guatemala. Várias pessoas cercaram o veículo e andaram ao lado do corpo, que foi levado para a principal igreja da cidade.

Sem uma cerimônia protocolar, os moradores se organizaram para prestar condolência à família da menina, especialmente para Claudia Maquín, mãe de Jakelin, que morreu no último dia 8.

Oito horas depois de ter sido capturada junto com o pai após cruzar a fronteira dos EUA, a menina começou a ter convulsões, apresentando quadro de grande febre. Agentes da Patrulha da Fronteira dos EUA chegaram a levá-la ao hospital, mas ela teve uma parada cardíaca no local, não resistiu e acabou morrendo.

A ficha de Cláudia parecia, pelo menos na noite de ontem, ainda não ter caído. Na véspera da chegada do corpo da filha, ela preparava omeletes para outras pessoas que estavam em sua casa.

Ao longo da madrugada, a comunidade construir um altar na casa dos Caal Maquín. Eles escolheram uma foto de Jakelin, cercada pela natureza e olhando para câmera, uma imagem que viajou o mundo.

O tio da menina, Manuel Chocooj Macz, agradeceu pelo fato de o corpo poder ser enterrado na Guatemala.

"Agradecemos às autoridades, porque ficaríamos tristes de não ter visto o corpo. Ela saiu feliz daqui", disse, chorando, o tio.

Um dos vizinhos da família, Fernando Caz, contou que a menina não queria deixar o pai tentar sozinho a longa viagem para os EUA. Segundo ele, Jakelin já tinha ciência de que, se ele a levasse, ficaria mais fácil para que ambos conseguissem permanecer.

"Agora ele (o pai de Jakelin) vai conseguir um trabalho e fazer um dinheiro para poder comprar uma casa para a família", disse o vizinho, citando os outros três filhos do casal.

O funeral de Jakelin terminará na manhã desta terça-feira. EFE

Internacional