PUBLICIDADE
Topo

Ministro italiano diz que "políticas egoístas, racistas e fascistas salvam vidas"

Matteo Salvini, ministro do Interior, é parte de endurecimento contra imigração na Itália - EPA
Matteo Salvini, ministro do Interior, é parte de endurecimento contra imigração na Itália Imagem: EPA

24/12/2018 10h20

O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, declarou nesta segunda-feira (24) que está orgulhoso de sua política de freio à imigração e defendeu que "as políticas egoístas, racistas e fascistas salvam vidas".

"Estou orgulhoso de ter reduzido as saídas, os desembarques e o número de mortos. Meu objetivo é que crianças, homens e mulheres não tenham que fugir pelo deserto e pelo mar e tenham um futuro nos seus países de origem. Estou contente porque as políticas egoístas, racistas e fascistas salvam vidas", ressaltou Salvini em transmissão ao vivo pelas redes sociais.

O Ministério do Interior divulgou hoje os dados relativos às chegadas de imigrantes ao país. Os números mostram que neste ano desembarcaram 23.210 pessoas, 87,85% a menos que em 2017, quando chegaram 118.914, e 92,80% a menos que em 2016, quando foram registradas 180.327 chegadas.

Salvini justificou a decisão de fechar os portos italianos para os imigrantes resgatados no mar Mediterrâneo como medida de prevenção contra os traficantes de pessoas, que "compram drogas e armas" com o dinheiro que cobram das pessoas que querem chegar à Europa em busca de um futuro melhor.

"No nosso país só entra quem tem direito e chega pedindo permissão, por favor e obrigado. Isto é nazista ou fascista? Não, é o justo", opinou. EFE