PUBLICIDADE
Topo

Disparos de exército israelense matam 2 palestinos em Gaza e Cisjordânia

25/01/2019 16h26

(Atualiza com declarações do exército israelense).

Gaza, 25 jan (EFE).- Dois jovens palestinos morreram nesta sexta-feira em decorrência de disparos do exército de Israel, um em Gaza durante os protestos semanais das sextas-feiras nas imediações da cerca de separação, e outro na Cisjordânia ocupada, informaram fontes médicas e oficiais palestinas.

O porta-voz do Ministério da Saúde palestino em Gaza, Ashraf al Qedra, identificou o falecido, de 25 anos, como Eihab Aabed, que morreu com um disparo no peito, e acrescentou que pelo menos 22 palestinos ficaram feridos por fogo israelense, entre eles um fotojornalista local.

Outro palestino de 18 anos, identificado como Ayman Hamed, morreu após ser baleado por soldados israelenses que estavam postados em uma torre de vigilância militar perto da aldeia de Ein Yabrud, informou a agência de notícias palestinas "Wafa".

Outra pessoa ficou ferida e foi transferida para receber atendimento médico em um hospital de Ramala, indicou a mesma agência, que não deu mais detalhes sobre o incidente.

"Hoje cedo, três suspeitos jogaram pedras contra veículos israelenses que transitavam por uma estrada próxima ao povoado palestino de Silwad", informou um porta-voz militar de Israel à Agência Efe, que acrescentou que "os soldados responderam abrindo fogo contra os suspeitos", que ficaram feridos e "receberam tratamento médico no local", embora um deles "tenha morrido por causa de seus ferimentos".

Cerca de 10.000 manifestantes, muitos dos quais portavam bandeiras palestinas, se reuniram hoje em frente à cerca fronteiriça entre Gaza e Israel, onde ocorreram distúrbios após lançarem artefatos explosivos e enfrentar as tropas israelenses ali presentes.

A tensão escalou nestes últimos dias em Gaza, onde o movimento islamita Hamas, que exerce o governo de fato ali desde 2007, rejeitou ontem uma doação de US$ 15 milhões do Catar, depois que Israel impediu sua entrada durante dias pela situação de conflito e posteriormente permitiu sua passagem.

Em outro incidente ocorrido hoje, as tropas israelenses dispararam contra um grupo de jovens palestinos que se aproximaram da cerca de separação para danificar a infraestrutura, e contra um posto de observação militar de um grupo armado palestino, informaram meios de comunicação palestinos.

Desde que começaram os protestos em Gaza, em março de 2019, morreram mais de 250 palestinos, um soldado israelense e outro em uma operação encoberta dentro do enclave, e neste período aumentou a instabilidade, com até sete picos de violência pelo lançamento de projéteis contra Israel e os bombardeios israelenses de represália. EFE