PUBLICIDADE
Topo

Itaipu destina US$ 1 milhão a projetos contra lavagem de dinheiro no Paraguai

28/01/2019 14h33

Assunção, 28 jan (EFE).- A Itaipu Binacional assinou nesta segunda-feira um convênio com a Secretaria de Prevenção de Lavagem de Dinheiro e Bens (Seprelad) do Paraguai para oferecer cooperação tecnológica durante dois anos e apoio financeiro, com um montante de US$ 929 mil, cujo foco será no combate aos crimes de lavagem de dinheiro no país.

Em um ato realizado no Palácio do Governo com a presença do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, o diretor do lado paraguaio da represa de Itaipu, José Alberto Alderete, afirmou que essa quantia ajudará a Seprelad e demais instituições do Estado a "continuar com o trabalho que estão fazendo" no combate aos crimes financeiros.

Itaipu e Seprelad desenvolverão um software para a captura de informações e comprarão outro projetado para prevenir a lavagem de dinheiro, informou a Presidência do Paraguai em comunicado.

Desta forma, espera-se que a comunicação entre as instituições seja mais fluente e facilite o trabalho conjunto entre a Seprelad, o Ministério Público, o Subsecretariado de Estado de Tributação (SET) e a Direção Nacional de Alfândegas, a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), entre outras.

A chefe da Seprelad, María Epifania González, ressaltou a necessidade de haver informações coordenadas e compartilhadas para avançar na luta contra o crime organizado.

"De nada serve à Seprelad não poder contar com certas informações se for possível fazer com que essas informações passem às outras instituições", apontou María, que acrescentou que a instituição "precisa se fortalecer".

A Seprelad está reforçando suas atuações em relação à avaliação do Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI), à qual o Paraguai será submetido ao longo de 2020.

O país deverá provar a efetividade da sua legislação e suas instituições no combate aos crimes financeiros, corrupção e contrabando.

À margem do convênio com a Seprelad, Itaipu assinou outros acordos de cooperação com o Ministério da Saúde Pública e Bem-estar Social, ao qual ajudará com US$ 3,2 milhões, e com o Ministério de Tecnologias da Informação e Comunicação (Mitic), ao qual destinará US$ 3,3 milhões. EFE