PUBLICIDADE
Topo

Ingestão de álcool adulterado causa mais de 140 mortes no nordeste da Índia

24/02/2019 11h45

Nova Délhi, 24 fev (EFE).- O número de mortos pelo consumo de álcool adulterado no nordeste da Índia chegou neste domingo a 143, depois que as primeiras mortes começaram a acontecer na noite de quinta-feira durante uma festividade em uma plantação de chá.

A ingestão da bebida ilegal começou na noite da quinta-feira durante uma festa em uma plantação de chá no distrito de Golaghat, no estado de Assam, e as mortes logo se estenderam também para o distrito vizinho de Jorhat.

"Até o momento, o número de mortos chega a 143", afirmou à Agência Efe o diretor-adjunto do Departamento de Lei e Ordem da polícia de Assam, Mukesh Agrawal, que evitou fornecer mais detalhes.

O subcomissário da administração do distrito de Golaghat, Dhiren Hazarika, revelou à Efe que 85 mortes ocorreram em seu distrito, onde 160 pessoas permanecem hospitalizadas até o momento.

"A situação está melhorando e as pessoas internadas estão se recuperando. Espero que não haja mais mortes", disse Hazarika.

No distrito vizinho de Jorhat, que também foi afetado pelo consumo da bebida, 58 pessoas morreram até o momento, 15 delas mulheres, afirmou à Efe a subcomissária da administração do distrito, Roshni Aparanji Korati.

Por enquanto, há oito detidos relacionados com a produção e a venda do álcool adulterado, explicou Hazarika, enquanto um homem e sua mãe, ambos envolvidos na venda do licor na plantação de chá, morreram.

"Trouxeram (o licor) em galões, mas talvez os recipientes tenham sido utilizados antes para transportar agrotóxicos e pesticidas para a plantação de chá, o que talvez fez com que a bebida se tornasse venenosa. A autópsia nos dirá o que aconteceu", explicou à Efe Hazarika.

O fato acontece depois que mais de 100 pessoas morreram na semana passada por consumo de álcool adulterado no norte da Índia, onde as autoridades realizaram cerca de 300 detenções em uma campanha contra este flagelo que costuma atingir a população mais pobre.

A ingestão de álcool ilegal e adulterado na Índia é comum em regiões rurais e nas áreas mais desfavorecidas das cidades devido a seu baixo preço.

O líquido resultante contém pesticidas e outras substâncias danosas para a saúde, que já provocaram mais intoxicações no passado.

A tragédia em Assam já supera o maior envenenamento dos últimos anos na Índia, quando mais de 130 pessoas morreram em dezembro de 2011 por ingestão de álcool ilegal adquirido perto de uma estação de trem no estado de Bengala (leste). EFE