PUBLICIDADE
Topo

Costa Rica fecha seu espaço aéreo aos aviões Boeing MAX 737-8 e 737-9

13/03/2019 22h49

San José, 13 mar (EFE).- A Direção Geral de Aviação Civil da Costa Rica anunciou nesta quarta-feira que proibiu os voos em seu espaço aéreo dos aviões Boeing MAX 737-8 e 737-9 após os recentes acidentes sofridos por esses modelos.

O diretor-geral de Aviação Civil do país, Guillermo Hoppe, explicou que a decisão é "uma medida preventiva, prioritariamente pela segurança de todos os passageiros e tripulantes, por conta dos recentes acidentes nos quais se viram envolvidas esse tipo de aeronaves, cujas causas se encontram em investigação".

Hoppe acrescentou que para esta decisão também foram levados em conta os critérios técnicos e as diretrizes emitidas pela fabricante das aeronaves e o fato de que várias companhias também suspenderam as operações desses aviões.

O diretor-geral de Aviação Civil destacou que o resguardo da vida humana é prioritário e que, até que sejam esclarecidas as circunstâncias dos acidentes nos quais se viram envolvidos esses modelos de avião, a medida será mantida.

No domingo passado caiu na Etiópia um avião Boeing 737 MAX 8, em um acidente que deixou 157 mortos.

O acidente da Etiópia é o segundo no qual se envolve um Boeing 737 MAX em menos de seis meses, depois do ocorrido em outubro do ano passado, quando uma aeronave da companhia Lion Air caiu na Indonésia devido a falhas no sistema automático, o que provocou a morte de 189 pessoas.

A União Europeia decidiu nesta terça-feira suspender todos os voos dos Boeing 737 MAX no seu espaço aéreo, unindo-se a países e companhias do resto do mundo que adotaram a mesma medida.

Já o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou também nesta quarta-feira a suspensão imediata dos voos dos aviões Boeing 737 MAX 8 e 9. EFE