Topo

Turquia pede à UE que aprenda lição de ataque na Nova Zelândia

2019-03-15T13:41:00

15/03/2019 13h41

(corrige título)

Bruxelas, 15 mar (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, pediu nesta sexta-feira à União Europeia (UE) para "aprender lições" de atentados como o ocorrido contra duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, no qual morreram 49 pessoas, e em relação ao ódio contra os muçulmanos propagado por "políticos irresponsáveis".

"Este incidente terrorista não só foi causado pelos seus realizadores, foi causado também por políticos irresponsáveis que propagam o ódio contra os muçulmanos e a xenofobia", disse Çavusoglu em entrevista coletiva junto com a alta representante da UE para a Política Externa, Federica Mogherini, e o comissário europeu de Ampliação, Johannes Hahn.

"Há lições a serem aprendidas com este ataque, especialmente na UE, nos membros da UE", declarou o chefe da diplomacia turca, considerando que a "linguagem de ódio usada contra os muçulmanos não deveria ser considerada como parte da liberdade de expressão".

Em mensagem no Twitter, o presidente da Turquia, o islamita Recep Tayyip Erdogan, ofereceu em nome do seu país suas condolências ao mundo islâmico e à Nova Zelândia, afirmando que os atentados são "o último exemplo do crescente racismo e islamofobia".

"Condeno categoricamente o ataque terrorista contra a mesquita de Al Noor na Nova Zelândia e contra os fiéis muçulmanos", escreveu Erdogan na rede social Twitter. EFE