PUBLICIDADE
Topo

Turquia afirma ter matado outros 55 soldados sírios na província de Idlib

13/02/2020 15h26

Istambul, 13 fev (EFE).- Pelo menos 55 soldados do exército sírio foram mortos nos últimos ataques da Turquia na província de Idlib, no norte da Síria, em resposta aos atentados que causaram 14 baixas entre as tropas turcas posicionadas na área, informou o governo de Recep Tayyip Erdogan.

"Segundo as informações mais recentes, de várias fontes da região de Idlib, 55 soldados do regime foram neutralizados hoje", anunciou o Ministério da Defesa na noite de quarta-feira em comunicado divulgado hoje por vários meios de comunicação turcos.

A Turquia usa o termo "neutralizar" para definir as baixas inimigas, tanto de mortos e feridos como de prisioneiros.

Segundo Ancara, um total de 156 soldados sírios foram mortos nessas operações.

O país, que mantém uma dúzia de postos de observação militar na província de Idlib, último reduto das facções rebeldes islâmicas opositoras a Damasco, aumentou sua presença militar na região após ataques do exército sírio às tropas turcas.

O presidente Erdogan, deu ao exército sírio até o final do mês para se retirar de Idlib e ameaçou atacar suas forças em qualquer parte da Síria se eles atacarem novamente as tropas turcas.

O enviado especial dos EUA para a Síria, James Jeffrey, disse ontem, durante uma visita em Ancara, que Washington apoia o "direito de se defender" da Turquia contra o Exército sírio na região de Idlib.

Por outro lado, a Turquia multiplicou seus esforços diplomáticos com a Rússia, apoiador do presidente Bashar al-Assad na Síria, para reduzir a tensão em Idlib.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Çavusoglu, anunciou ontem que uma delegação turca viajará em breve para Moscou com o objetivo de resolver a situação em Idlib, depois de encerrar, sem acordo, os contatos entre os dois países nesta semana. EFE

lvm/phg

Notícias