PUBLICIDADE
Topo

Socialite ligada a Jeffrey Epstein é presa nos Estados Unidos

03/07/2020 04h04

Nova York (EUA), 2 jul (EFE).- A socialite britânica Ghislaine Maxwell, foi presa pelo FBI, por suposto envolvimento com o esquema de crimes sexuais contra menores de idade montado pelo magnata Jeffrey Epstein, que morreu em agosto de 2019, segundo veiculou em primeira mão nesta quinta-feira a emissora americana "NBC".

De acordo com as informações que foram confirmadas posteriormente pelas autoridades americanas, a ex-namorada de Epstein foi detida no estado de New Hampshire, sob as acusações de conspiração para que fossem cometidos os abusos. A expectativa é que ela participe ainda hoje de audiência preliminar em tribunal dos EUA.

A Promotoria do Distrito Sul de Nova York divulgou que Maxwell ainda responde por delitos relacionados com "persuadir, induzir, atrair e coagir" menores de idade para que viajassem com ela, o que facilitaria os crimes sexuais cometidos por Epstein entre 1994 e 1997.

Além disso, a socialite britânica é acusada de prestar falso testemunho às autoridades dos EUA em 2016.

Em documento obtido pela Agência Efe, Maxwell é apresentada como a mulher que "auxiliou, facilitou e contribuiu com o abuso de meninas menores", entre outras coisas, ajudando na captação, preparação e, em última instância, a violentá-las.

Ainda de acordo com a acusação, tanto a socialite, quanto Epstein, sabiam que todas tinham menos de 18 anos de idade.

O magnata americano se enforcou na prisão em Nova York, em agosto de 2019, apenas um mês depois de ter sido encaminhado para o local. Com isso, o processo penal contra ele foi fechado, mas não as investigações sobre pessoas ligadas ao caso.

Ex-namorada de Epstein e filha do empresário de telecomunicações Robert Maxwell, Ghislaine Maxwell seguiu amiga íntima do acusado de crimes sexuais por muitos anos. Ela era apontada como a pessoa que indroduziu o magnata americano na alta sociedade.