PUBLICIDADE
Topo

Vacina chinesa contra Covid-19 será testada em crianças e adolescentes

17/09/2020 12h20

Pequim, 17 set (EFE).- A farmacêutica chinesa Sinovac começará no próximo dia 28, a testar sua vacina contra a Covid-19 em adolescentes e crianças, após testes feitos em adultos, que se encontram na fase final, terem dado resultados positivos, conforme revelaram fontes da empresa nesta quinta-feira à Agência Efe.

No último dia 9, a Sinovac havia anunciado que os resultados dos testes da vacina CoronaVac nas fases 1 e 2 mostraram "boa segurança e imunogenicidade" em adultos saudáveis com mais de 60 anos de idade, assim como em pessoas entre 18 e 59 anos.

Os níveis de anticorpos em pessoas com mais de 60 anos foram ligeiramente mais baixos do que os encontrados em testes com uma população mais jovem, de acordo com a empresa.

A garantia de que a vacina possa ser aplicada em toda a população, incluindo crianças e adolescentes, é uma das chaves para a prevenção de surtos do vírus em escolas e creches.

Segundo um registro de estudo publicado em seu site pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, até 552 pessoas saudáveis com idades entre 3 e 17 anos receberão duas doses de CoronaVac e um placebo, um teste que combinará as fases 1 e 2.

Em 11 dias, os testes começarão na província de Hebei, no nordeste da China.

A vacina Sinovac, produzida na América Latina em cooperação com o Instituto Butantan, com sede em São Paulo, está na última fase de testes em larga escala em adultos em países como Brasil, Indonésia e Turquia.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), garantiu na última segunda-feira que pretendem imunizar todos os brasileiros com a vacina chinesa e posteriormente outros países latino-americanos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou testes clínicos da vacina Sinovac em 9 mil voluntários.

A CoronaVac tem assegurada 46 milhões de doses no país até dezembro e outras 16 milhões até o primeiro trimestre de 2012, segundo as autoridades brasileiras.

Cerca de 90% dos funcionários da farmacêutica chinesa em todo o mundo e suas famílias receberam suas doses, de acordo com a empresa. EFE

jg/phg