PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Espanha descarta "passaporte Covid" antes de atingir imunidade de grupo

30/07/2021 22h53

Madri/Salamanca (Espanha), 30 jul (EFE).- O governo da Espanha descarta implementar um passaporte que permita o acesso a alguns eventos e estabelecimentos para pessoas vacinadas contra a covid-19 ou que tenham tido a doença recentemente até que o país tenha atingido a chamada imunidade de rebanho contra o coronavírus, o que as autoridades esperam que aconteçam até o final de agosto.

A porta-voz do governo espanhol, Isabel Rodríguez, negou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva na cidade de Salamanca após uma reunião de presidentes regionais, que exista a possibilidade de uso de um documento desse tipo.

Alguns dos presidentes das comunidades autônomas espanholas solicitaram o uso dessa medida durante o encontro, mas Rodríguez ressaltou que a prioridade no momento é a vacinação contra a covid. Ela inclusive lembrou a compra extraordinária de 3,4 milhões de doses produzidas pela Pfizer para agosto.

Com esse número de imunizantes, o governo de Pedro Sánchez pretende chegar neste mês a 70% das pessoas imunizadas na Espanha, um percentual em que, segundo cientistas, chega-se à imunidade de rebanho.

Na opinião da porta-voz, não se pode estigmatizar as pessoas que ainda não receberam o curso completo da vacinação, pois muitas ainda não tiveram a oportunidade de receber a segunda dose.

No entanto, Rodríguez ressaltou que o governo não descarta a possibilidade de que o documento seja implementado no futuro, depois que o compromisso de vacinação tenha sido cumprido.

BOM RITMO DE VACINAÇÃO E QUEDA DA INCIDÊNCIA DO CORONAVÍRUS.

Quase 27 milhões de pessoas na Espanha já estão vacinadas contra o coronavírus com todas as doses necessárias, o que representa 56,8% da população, de acordo com o último relatório do Ministério da Saúde.

A notícia do novo carregamento de vacinas da Pfizer chega num momento em que, segundo os últimos dados das autoridades sanitárias, a quinta onda da pandemia vem perdendo força lentamente. A incidência de casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias caiu para 687,30. A queda é mais acentuada na faixa etária entre 20 e 29 anos, onde caiu 230 pontos em uma semana.

Um agravamento continua sendo registrado na porcentagem de leitos ocupados de unidades de terapia intensiva, que se situa em 18,31%, quase 5 pontos percentuais acima de sete dias atrás, e seis décimos a mais do que ontem. Foram confirmadas 44 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, duas a mais que na véspera.