PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Secretário de Defesa dos EUA confirma morte de policial perto do Pentágono

04/08/2021 03h11

Washington, 3 ago (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin III, confirmou que um policial do Pentágono foi morto nesta terça-feira em um tiroteio ocorrido perto do complexo onde fica o Departamento de Defesa, mas nenhum outro detalhe foi divulgado.

Em comunicado, Austin disse que um membro da Agência da Força de Proteção do Pentágono "morreu em consequência de ferimentos sofridos de manhã".

Austin, que ordenou que a bandeira americana fosse hasteada a meio mastro na sede do complexo de Defesa americano, declarou que o oficial "morreu no cumprimento do dever, ajudando a proteger as dezenas de milhares de pessoas que trabalham - e visitam - o Pentágono todos os dias".

O secretário também disse que uma investigação está em andamento "para determinar as circunstâncias em torno do incidente de hoje", e pediu que ela "avance sem obstáculos e sem especulações".

A Agência da Força de Proteção do Pentágono, que é responsável pela segurança da sede do Departamento de Defesa, descreveu o caso apenas como um "incidente" e informou que dará "informações adicionais" após familiares próximos do policial serem comunicados sobre o ocorrido.

Algumas horas antes, o chefe da agência, Woodrow Kusse, afirmou em entrevista coletiva que o episódio aconteceu por volta das 10h37 (horário local; 11h37 de Brasília) em uma das plataformas que atendem as várias linhas de ônibus que percorrem a região.

Kusse disse que o incidente deixou "várias vítimas", sem esclarecer quantos mortos ou feridos.

"Um oficial do Pentágono foi atacado na plataforma do Metrobus, houve troca de tiros e várias vítimas", explicou.

O Pentágono, que fica em Arlington, nos arredores da capital americana, Washington, ficou fechado por mais de uma hora após os disparos.

O tiroteio ocorreu perto de uma das entradas principais do complexo, onde milhares de funcionários do Departamento de Defesa passam diariamente. EFE

lb/id