Chefe de TI da Coca-Cola em Bangladesh é preso suspeito de atuar para o EI

Ruma Paul e Serajul Quadir

Em Daca

Um gerente de TI (Tecnologia da Informação) de uma subsidiária da Coca-Cola é um dos dois homens presos em Bangladesh pela suspeita de planejarem lutar pelo Estado Islâmico na Síria, disseram fontes da polícia e da empresa nesta segunda-feira (25).

A dupla foi detida durante uma operação na capital Daca na noite de domingo (24), informou Sheikh Nazmul Alam, funcionário graduado do setor de investigação da polícia.

Um dos homens, Aminul Islam, era o responsável de TI de uma multinacional e trabalhava como coordenador regional para o Estado Islâmico, e o outro, Sakib Bin Kamal, era professor de uma escola de Daca, acrescentou.

Um oficial da polícia e uma fonte da empresa declararam à Reuters que Islam trabalhava na International Beverages Private Ltd, uma unidade da Coca-Cola. A fonte da companhia, que pediu anonimato por causa da delicadeza do caso, confirmou que o homem preso era o chefe de TI, e disse que ele estava ausente do serviço há vários dias.

Em um comunicado, a subsidiária declarou estar ciente das reportagens dando conta de que o funcionário, que declarou ser Aminul Islam Baig, foi preso. "Iremos cooperar totalmente com as agências de aplicação da lei conforme exigido", disse a nota.

Mais de 700 morrem em dois episódios de violência na Síria

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos