Ativistas pedem que Facebook esclareça políticas de remoção de conteúdo

WASHINGTON (Reuters) - Mais de 70 grupos em favor dos direitos de privacidade solicitaram nesta segunda-feira ao Facebook que esclareça suas políticas para remoção de conteúdo, especialmente a mando de governos, alegando que a empresa tem repetidamente censurado postagens que documentam violações aos direitos humanos.

Em uma carta enviada ao presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, a organização critica a rede social por casos nos últimos meses em que a empresa apagou conteúdos envolvendo violência policial, removeu uma imagem histórica da Guerra do Vietnã e suspendeu brevemente contas de dois jornalistas palestinos.

"As notícias não estão apenas sendo compartilhadas no Facebook: elas estão sendo rompidas lá", diz a carta, cujos signatários incluem a União Americana de Liberdades Civis, o Sierra Club, Centro para Justiça da Mídia e SumOfUs.

"Quando os membros mais vulneráveis da sociedade se voltam para sua plataforma para documentar e compartilhar experiências de injustiça, o Facebook é moralmente obrigado a proteger estas falas", diz a carta.

O Facebook não respondeu imediatamente a um pedido de comentários.

Mais cedo, um executivo sênior do Facebook disse nesta segunda-feira que companhia permitirá mais conteúdo em sua plataforma, após ter removido a foto da Guerra do Vietnã por violação das regras.

(Por Dustin Volz)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos