Turquia suspende quase 2 mil funcionários da educação por suposta ligação com golpe

ANCARA (Reuters) - A Turquia suspendeu quase dois mil professores e funcionários de escolas nesta quarta-feira, disse uma autoridade do Ministério da Educação, parte do crescente expurgo realizado na esteira de um golpe de Estado fracassado em julho.

Mais de 125 mil pessoas foram demitidas da polícia, das Forças Armadas, do Judiciário, do serviço público ou do sistema educacional, e quase 40 mil foram presas, por suas supostas conexões com a tentativa de golpe, durante a qual ao menos 240 pessoas morreram.

O funcionário disse à Reuters que 1.980 professores e empregados de escolas foram suspensos à espera de uma investigação. Nenhuma outra informação estava disponível de imediato.

A Turquia afirma que seguidores do clérigo muçulmano Fethullah Gulen, que vive nos Estados Unidos, se infiltraram em instituições estatais e tramaram para depor o governo. Nesta quarta-feira, o presidente turco, Tayyip Erdogan, disse que o policial de 22 anos que assassinou o embaixador da Rússia em Ancara nesta semana também era um seguidor de Gulen.

O próprio clérigo repudiou o golpe e o assassinato e negou qualquer envolvimento.

(Por Gulsen Solaker)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos