ONU demite observadores de processo de paz da Colômbia por dançarem com rebeldes das Farc

Em Bogotá

  • Rios Escobar para The New York Times

Uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU) que está supervisionando a desmobilização das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) demitiu quatro funcionários nesta quinta-feira (5) após terem sido vistos dançando com combatentes da guerrilha em uma festa de Ano-Novo.

Um vídeo, que mostra homens vestidos com as jaquetas azuis da ONU dançando ao ritmo da salsa com mulheres rebeldes, criou controvérsias ao questionar a neutralidade dos observadores da ONU no país andino, onde as Farc estão se desmobilizando após uma guerra de meio século.  

A missão da ONU, que é coletar as armas das Farc e supervisionar mais de duas dúzias de acampamentos, foi criticada por opositores de direita, que são contra o processo de paz.

O governo do presidente Juan Manuel Santos, que recebeu o prêmio Nobel da Paz pelo acordo com as Farc, também disse que a dança prejudicou a neutralidade da ONU.

"A missão da ONU na Colômbia tomou a decisão de dispensar três observadores presentes na ocasião e seu supervisor direto", disse a organização internacional em comunicado nesta quinta-feira, sem nomeá-los.

"A missão reitera sua determinação de verificar com total imparcialidade os compromissos de ambas as partes com o cessar-fogo e deposição de armas."

A embaixadora da Colômbia na ONU, María Emma Mejía, disse que o incidente foi fonte de grande "preocupação e surpresa".

Líderes das Farc argumentam que a reação ao vídeo, que dominou as manchetes locais desde o Ano Novo, é exagerada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos