Relatório de inteligência dos EUA diz que Putin dirigiu ataque cibernético para ajudar Trump

WASHINGTON (Reuters) - O presidente russo Vladimir Putin ordenou uma "campanha de influência" em 2016 visando as eleições presidenciais nos Estados Unidos com o objetivo de enfraquecer o processo democrático e denegrir a rival democrata Hillary Clinton, mostrou um novo relatório de inteligência liberado ao público nesta sexta-feira.

"Nós avaliamos que Putin e o governo russo desenvolveram uma clara preferência pelo presidente eleito Trump", afirma o relatório.

"Também avaliamos que Putin e o governo russo buscaram ajudar as chances de eleição do presidente eleito Trump quando possível ao desacreditar a secretária Clinton e publicamente comparando-a desfavoravelmente a ele."

(Por Warren Strobel e Yara Bayoumy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos