Kremlin nega complô para assassinar premiê de Montenegro

MOSCOU/PODGORICA (Reuters) - O Kremlin rejeitou nesta segunda-feira, chamando de "irresponsáveis", alegações de Montenegro segundo as quais a Rússia está envolvida em um complô para assassinar seu primeiro-ministro.

No domingo, o procurador especial montenegrino Milivoje Katnic acusou Moscou de envolvimento na suposta conspiração de outubro passado, que ele disse ter como meta levar uma figura da oposição ao poder e impedir a integração da ex-república iugoslava à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

"Agora sabemos que instituições estatais russas estavam envolvidas", disse ele à rede independente Prva TV. "Cabe às instituições estatais russas investigar isso."

O Kremlin repudiou as alegações de Katnic, considerando-as absurdas, e negou interferir nos assuntos internos de Montenegro.

"Estas palavras são sérias demais... e não conseguir sustentá-las com informações confiáveis é irresponsável, para dizer o mínimo", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres em uma teleconferência.

(Por Aleksandar Vasovic em Moscou e Petar Komnenic em Podgorica)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos