PUBLICIDADE
Topo

Forças do Iraque tomam aeroporto durante combates com Estado Islâmico em Mossul

Coluna de fumaça na região do aeroporto de Mossul durante ataque das forças iraquianas contra o Estado Islâmico - Ahmad al-Rubaye/ AFP
Coluna de fumaça na região do aeroporto de Mossul durante ataque das forças iraquianas contra o Estado Islâmico Imagem: Ahmad al-Rubaye/ AFP

Isabel Coles e Stephen Kalin

Em Mossul

23/02/2017 09h03

 Forças de segurança do Iraque apoiadas pelos Estados Unidos assumiram o controle do aeroporto de Mossul nesta quinta-feira (23), horas depois de lançarem uma grande ofensiva contra o Estado Islâmico, que controla a metade oeste da cidade, disse a TV estatal.

"As Forças de Resposta Rápida e a polícia federal têm o controle integral do aeroporto de Mossul", disse a emissora estatal.

As forças iraquianas atacaram o aeroporto e trocaram tiros com os combatentes do Estado Islâmico, que usaram carros-bomba para tentar obstruir seu progresso, de acordo com um correspondente da Reuters localizado ao sul do aeroporto de Mossul.

Fontes relataram que os militantes utilizaram drones (aeronaves não-tripuladas) repletos de bombas para atacar as Forças de Contraterrorismo do Iraque que avançavam do sudoeste da cidade.

"Estamos atacando o Daesh (Estado Islâmico) de frentes múltiplas para distraí-los e evitar que se reagrupem. É a melhor maneira de acabar com eles rapidamente", afirmou o capitão da polícia federal Amir Abdul Kareem, cujas unidades estão lutando perto da base militar de Ghozlani.

Depois de expulsar o grupo militante do leste de Mossul no mês passado, as forças iraquianas vinham tentando capturar o aeroporto.

A campanha envolve uma força de 100 mil soldados iraquianos, combatentes curdos e milícias xiitas e fez avanços rápidos desde o início do ano, auxiliada por novas táticas e uma coordenação melhor.

Perder Mossul pode significar o fim da porção iraquiana do califado autodeclarado dos militantes no Iraque e na Síria, que o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, declarou na cidade depois de arrasar vastas áreas do Iraque em 2014.