Trump descreve Polônia como aliada exemplar contra Rússia "desestabilizadora"

Por Marcin Goclowski e Marcin Goettig

VARSÓVIA (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descreveu a Polônia como uma aliada exemplar na construção de defesas em contraposição ao "comportamento desestabilizador" da Rússia, e ao mesmo tempo pareceu incentivar a postura polonesa desafiadora em relação à União Europeia.

Trump, que ruma para uma cúpula do G20 potencialmente contenciosa em Hamburgo, na Alemanha, exortou os aliados ocidentais da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Europa a gastarem mais com a defesa fazendo uma comparação com a Polônia, que cumpre a meta acordada de contribuir com 2 por cento de seu Produto Interno Bruto (PIB) anual.

A visita breve a Varsóvia foi divulgada como uma oportunidade para o norte-americano melhorar suas relações com aliados europeus depois de uma cúpula tensa da Otan em maio.

Trump disse que EUA e Polônia compartilham valores semelhantes.

"Debatemos nossos compromissos mútuos para salvaguardar os valores no cerne de nossa aliança: liberdade, soberania e o Estado de Direito", afirmou ele em uma coletiva de imprensa conjunta depois de se reunir com o presidente polonês, Andrzej Duda.

"Estamos trabalhando com a Polônia em resposta às ações e ao comportamento desestabilizador da Rússia. E somos gratos pelo exemplo que a Polônia deu... sendo uma das poucas nações que realmente cumprem as obrigações financeiras (da Otan)".

O Kremlin disse discordar da avaliação de Trump no tocante à

Rússia ter um comportamento desestabilizador. Trump deve ter uma reunião bilateral com seu colega russo, Vladimir Putin, pela primeira vez durante a cúpula do G20.

A Polônia e aliados do leste europeu expressaram profunda preocupação com a anexação russa da península ucraniana da Crimeia e também com a atividade militar da Rússia perto de suas fronteiras. Moscou argumenta estar reagindo à intensificação da presença ocidental.

Desde que venceu uma eleição em 2015, o partido polonês eurocético Lei e Justiça (PiS, na sigla em polonês) vem enfrentando críticas de colegas do leste europeu devido ao que alguns veem como uma guinada autoritária e à sua rejeição a imigrantes muçulmanos.

O Pis compartilha as opiniões de Trump quanto à imigração, a mudança climática e a mineração de carvão, e vem dizendo há tempos que as instituições de Bruxelas deveriam devolver algum poder aos governos nacionais.

(Reportagem adicional de Roberta Rampton e Jeff Mason)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos