Apple diz que removerá serviços de VPN de App Store na China

PEQUIM (Reuters) - A Apple disse que está removendo serviços de redes virtuais particulares (VPN, na sigla em inglês) de sua loja de aplicativos na China, atraindo críticas de provedores de serviços VPN, que acusam a gigante norte-americana de tecnologia de se curvar à pressão dos reguladores cibernéticos de Pequim.

As VPNs permitem que usuários burlem o chamado "Grande Firewall" da China, que visa restringir acesso a sites estrangeiros.

Em janeiro, Pequim aprovou leis para proibir todas as VPNs não aprovadas por reguladores estatais. As VPNs aprovadas devem usar a infraestrutura de rede estatal.

Em comunicado enviado no domingo, uma porta-voz da Apple confirmou que a empresa irá remover os aplicativos que não seguem a lei de sua App Store na China, incluindo serviços que não sejam baseados no país.

Pequim fechou dezenas de provedores chineses e tem mirado serviços estrangeiros, conforme aposta no aperto do controle sobre a internet, especialmente antes do congresso do Partido Comunista em agosto.

(Por Cate Cadell)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos