Papa pede "prudência" a políticos que estimulam o racismo e denigrem a dignidade humana

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco repreendeu duramente nesta sexta-feira os políticos que fomentam o medo de migrantes, dizendo que eles estão semeando violência e racismo, e os exortou a "praticar a virtude da prudência" para ajudá-los a se integrar.

O pontífice, que fez da defesa de migrantes e refugiados um dos pilares de seu papado, fez os comentários em uma mensagem preparada para o Dia Mundial da Paz da Igreja Católica, comemorado no dia 1º de janeiro de cada ano.

    Tradicionalmente a mensagem, cujo título para 2018 é "Migrantes e Refugiados: Homens e Mulheres em Busca de Paz", é enviada a chefes de Estado e de governo e a instituições internacionais.

    Seu texto está sendo divulgado no momento em que a migração se tornou uma questão política prioritária em países como Estados Unidos, Itália, Austrália e Alemanha.

"Muitos países de destino têm visto a disseminação de uma retórica que denuncia os riscos à segurança nacional ou o alto custo de acolher recém-chegados, e fazê-lo denigre a dignidade humana devida a todos os filhos e as filhas de Deus", escreveu Francisco.

    "Aqueles que, pelo que podem ser razões políticas, fomentam o medo de migrantes ao invés de construírem a paz estão semeando violência, discriminação racial e xenofobia, que são questões de grande preocupação para todos aqueles interessados na segurança de cada ser humano."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos