China pede esforços construtivos para reduzir tensões em península coreana

PEQUIM (Reuters) - A China pediu nesta segunda-feira para que todos os países façam esforços construtivos para reduzir as tensões, depois que a Coreia do Norte afirmou que as mais recentes sanções da Organização das Nações Unidas contra o país são um ato de guerra e representam um bloqueio econômico completo.

O Conselho de Segurança da ONU impôs por unanimidade novas sanções à Coreia do Norte na sexta-feira pelo seu recente teste de um míssil balístico intercontinental, buscando limitar o acesso do país a derivados de petróleo refinado e a petróleo bruto, assim como aos ganhos de norte-coreanos que trabalham no exterior.

No domingo, a Coreia do Norte rejeitou a resolução, elaborada pelos Estados Unidos, e a chamou de um ato de guerra.

Em Pequim, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China Hua Chunying disse que a resolução fortaleceu de forma apropriada as sanções, mas não tinha o objetivo de afetar pessoas comuns, a cooperação e as trocas comerciais normais ou a ajuda humanitária.

Hua lembrou que o texto também pede o uso de meios pacíficos para resolver a questão e que todos os lados devem adotar medidas para reduzir as tensões.

"Na situação presente, chamamos a todos os países para exercitarem a contenção e fazer esforços construtivos e proativos para amenizar as tensões na península e resolver a questão de forma apropriada", disse ela em briefing diário à imprensa.

Aliados antigos da Coreia do Norte, China e Rússia apoiaram a resolução.

(Reportagem de Ben Blanchard)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos