Suposto ataque do Boko Haram na Nigéria deixa 4 mortos

Por Ola Lanre

LAGOS (Reuters) - Quatro civis morreram em um ataque de supostos militantes do Boko Haram ocorrido na segunda-feira na cidade nigeriana que está no cerne de um conflito com os islâmicos, disseram um morador e duas autoridades à Reuters.

O Exército da Nigéria disse na noite de segunda-feira que repeliu o ataque nos arredores de Maiduguri, o berço espiritual do Boko Haram, que foi o maior atentado de grande porte na cidade do nordeste desde junho.

O comunicado do Exército não mencionou as baixas, mas MusaAlkali, que reside na área atacada, Molai, disse à Reuters que viu quatro corpos.

"O Boko Haram lutou para entrar em Molai e incendiou três casas antes de o caça militar chegar", disse.

"Três pessoas foram incineradas dentro de casa, (depois) vi quatro cadáveres retirados da área", contou Alkali, acrescentando que a quarta pessoa foi baleada.

O comandante de um grupo local de justiceiros e um militar também disseram à Reuters, já na terça-feira local, que quatro civis morreram. Eles falaram sob condição de anonimato porque foram instruídos a não se comunicarem com a mídia e temerem retaliações.

Os militares disseram que nenhum de seus soldados perdeu a vida, que os agressores usaram caminhões equipados com armas e homens-bomba e que incendiaram casas e veículos ao baterem em retirada.

Três porta-vozes dos militares nigerianos não responderam de imediato a ligações, mensagens de texto e mensagens de WhatsApp pedindo comentários.

Quatorze pessoas foram mortas em um ataque realizado em Maiduguri em junho, quando o grupo agiu na véspera de uma visita do vice-presidente do país, Yemi Osinbajo.

É frequente o governo dizer que está em alerta para ataques do Boko Haram no período do Natal e em outras festividades de cristãos e muçulmanos.

A insurgência já visou locais de culto, como igrejas e mesquitas, nestas épocas. Embaixadas alertam seus cidadãos frequentemente para que sejam cautelosos e evitem espaços públicos nestas ocasiões.

O governo do presidente Muhammadu Buhari vem dizendo que o Boko Haram está quase derrotado, mas os atentados mais recentes mostram que o grupo ainda é capaz de realizar operações-relâmpago, dando ensejo a uma nova arremetida governamental contra os militantes.

Na semana passada o governo da Nigéria aprovou a liberação de 1 bilhão de dólares de um fundo estatal de petróleo para ajudar os combates.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos