Trabalhadores no Reino Unido ficam aliviados após vitória da Bombardier em disputa comercial

LONDRES (Reuters) - Políticos britânicos e líderes sindicais receberam bem a surpreendente vitória da Bombardier em disputa comercial contra a fabricante norte-americana de aviões Boeing , alegando que preservou centenas de empregos na Irlanda do Norte e ao redor da cadeia de distribuição britânica.

A determinação de sexta-feira pela Comissão de Comércio Internacional dos EUA (ITC, na sigla em inglês) também foi um impulso para a primeira-ministra britânica, Theresa May, uma vez que a operação da Bombardier na Irlanda do Norte está no centro das preocupações do maior partido sindicalista da província, o partido Sindicalista Democrático, que está apoiando seu governo após seu fraco desempenho nas eleições de junho passado.

A disputa entre as duas companhias havia colocado centenas de empregos em risco na fábrica de Belfast, onde a Bombardier fabrica asas de carbono para o CSeries CS100 e CS300.

"É um grande alívio, nós sempre soubemos que (o caso) era injustificado", disse o secretário do Comércio britânico, Greg Clark, à rádio BBC neste sábado.

"Não só significa que a preocupação está fora do caminho, significa que (a Bombardier) pode agora avançar com força para expandir porque o CSeries acabou de se juntar a Airbus ", disse.

Na sexta-feira, o ITC votou por 4 a 0 para rejeitar as alegações da Boeing de que foi prejudicada pela Bombardier por vender o CSeries a preços abaixo do mercado nos EUA e descartou uma recomendação do Departamento de Comércio de aplicar um imposto de quase 300 por cento sobre vendas dos jatos, que acomodam de 110 a 130 assentos, por cinco anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos